Posts Tagged 'mobilidade'

pesquisa de campo em Aveiro

evolucao-pesquisa4

Com algumas dificuldades, lá cheguei aos “actores” directa ou indirectamente intervenientes na construção de linhas de orientação para o meu estudo sobre a mobilidade em Aveiro. Fica um esquema que traduz essa evolução na pesquisa de campo e os tipos de informação para os quais contribuíram. Quero agradecer especialmente ao professor José Mota da Universidade de Aveiro, que constituiu um ponto chave para chegar a muita da informação.

Advertisements

“transporlis” e “itinerarium”

transporlis

O TRANSPORLIS é um sistema de informação multimodal na web da Área Metropolitana de Lisboa da responsabilidade de uma parceria formada pela ANA, Carris, CP, Câmara do Barreiro,Câmara de Loures, Câmara de Odivelas, Fertagus, Metropolitano de Lisboa, PT.Com, Rodoviária de Lisboa, Scotturb, Transportes Sul do Tejo, Transtejo e Vimeca. Podemos pesquisar tarifarios, horários e visualizar o roteiro. Contudo, na minha opinião, torna-se confuso pelo facto da informação estar dispersa e a pesquisa ser demorada . Mais em http://transporlis.sapo.pt.

 

itinerarium

itinerarium21

Já o sistema de informação multimodal na web da Área Metropolitana do Porto da responsabilidade de uma parceria entre STCP, CP e Metro do Porto, é muito mais inteligível, directo e funcional. Através de uma pesquisa rápida, o utilizador fica a saber o título que deve comprar, o local de partida, a forma de lá chegar (mesmo que seja a pé), a duração da viagem e os transbordos. Só é pena que, provavelmente, a maioria das pessoas não conheça tal interface devido à pouca divulgação. Mais em http://www.itinerarium.net.

conceito de “mobilidade sustentável”

“mobilidade sustentável”

 

«A mobilidade urbana sustentável pode ser definida como o resultado de um conjunto de políticas de transporte e circulação que visa proporcionar o acesso amplo e democrático ao espaço urbano, através da priorização dos modos não-motorizados e colectivos de transporte, de forma efectiva, que não gere segregações espaciais, socialmente inclusiva e ecologicamente sustentável. Baseado nas pessoas e não os veículos.»

 

(in Seminário Mobilidade Sustentável)

 

cidades europeias

«As cidades europeias são todas diferentes. Enfrentam, no entanto, desafios semelhantes.

(…) a economia europeia perde anualmente perto de 100 mil milhões de euros, ou seja, 1% do PIB da UE, devido a um fenómeno de congestionamento crónico.

(…) a circulação urbana está na origem de 40% das emissões de CO2 e de 70% das emissões de outros poluentes resultantes dos transportes rodoviários.

(…) um acidente mortal em cada três ocorre nas zonas urbanas, onde peões e ciclistas são as primeiras vítimas.»

 

(in Public consultation in preparation for the Green Paper on urban mobility – SEC (2007) 1209 – 25.9.2007)

projecto “bio mapping”

biomapping
Bio Mapping é um projeto de mapeamento sobre cidades realizado entre os anos de 2000 e 2004. Através de sensores biométricos indicadores da posição geográfica das pessoas e da intensidade das suas emoções, identificaram-se os locais onde as pessoas se sentem mais excitadas emocionalmente. Concluiu-se que as zonas das cidades mais problemáticas para as pessoas correspondem às zonas onde o tráfego é mais intenso. Mais em http://biomapping.net/.

informação nos transportes públicos

«the overwhelming majority of modernization programs around the world aspire to improve existing mobility systems through the better integration of the transport systems already in place. Increasingly, European planners now treat car, rail, air, and ship as complementary – not competing – modes of the transport (…) Bizarrely, nonmotorized forms of mobility such as walking, biking, or boating are excluded from the most influential databases…» (Tackara, pp. 57 e 72)

Na cidade do Porto há um vasto leque de modos de transporte, veículos e infra-estruturas: grandes redes com infra-estruturas e percursos fixos (comboio, metro e eléctrico); redes com percursos fixos mas eventualmente alteráveis (autocarro); sistemas individuais com percursos predominantemente pendulares, da periferia para o centro (automóvel), ou aleatórios dentro da aglomeração (automóvel particular, táxi, moto). Assim, um único sistema de informação construído de forma a ajudar as pessoas a encontrar informações sobre as diferentes possibilidades para deslocação em transportes públicos, permite promover a mobilidade sustentável.

esquema-transportes-novo

Adaptado (Design para a cidade – Trânsito e Transportes, pp. 10)

‘sobremobilidade’

aveiro_at_night_by_masbath

«(…) entre o viajante-espectador e o espaço da viagem que percorre ou contempla, (há) uma ruptura que o impede de ver nele um lugar, de nele se encontrar plenamente, ainda que tente preencher esse vazio por meio das informações múltiplas e minuciosas que lhe propõem os guias turístico (…) ou as narrativas de viagem.» (Augé, p. 72)

 

 

‘sobremobilidade’ de sobremodernidade (Augé): 

– “destinos irrequietos e perdidos”

– “solidão”

– “experiência crua”

– “superabundância das comunicações afinal fingidas”

– “superabundância de acontecimentos”

– “superabundância espacial”

– “individualização das referências”

– “anonimato dos espaços”