Archive for the 'mobilidade hoje' Category

Public transport operators threaten to stop selling social passes

(PT) Os operadores privados de transporte público de passageiros da área metropolitana de Lisboa (AML) ameaçam deixar de vender passes sociais se o Estado não lhes pagar os cerca de 15 milhões de euros em dívida.

Ver notícia

(EN) Private operators of public transports of  metropolitan area of Lisbon (AML) threaten to stop selling social passes if the State does not pay them about 15 million in debt.

See news

Advertisements

Lisbon in the 18.º place among 23 European cities

(PT) A EuroTest testou, entre Outubro e Dezembro de 2009, o transporte público em diversas cidades europeias, aos níveis dos tempos de viagem, ligações, informação e bilhetes e tarifas dos comboios, metropolitano, autocarros e eléctricos. A cidade de Munique alcançou o primeiro lugar, com uma apreciação de “muito bom”, seguida de outras 11 com a classificação de “bom”, nove ficaram-se pelo “aceitável” – entre as quais Lisboa -, uma teve o carimbo de “mau” e, em último, Zagreb com um “muito mau”.

Lisboa é apontada como uma das cidades que não possuem um site comum com os diferentes operadores – o Transporlis (transporlis.sapo.pt), por exemplo, é desconhecido até dos portugueses. Ainda assim, a capital lisboeta ficou à frente de Madrid (19) e de Londres (20), cujo site informativo, com indicações em 16 idiomas, deve servir de modelo.

Munique, por sua vez, convenceu o EuroTest pelas ligações rápidas e informação detalhada nas estações e veículos, apesar das tarifas menos favoráveis. Já a capital croata peca pelas deficientes ligações na cidade, apenas servida a partir do aeroporto por autocarros, e as viagens de eléctrico à velocidade média de 13 quilómetros por hora.

(EN) The EuroTest tested between October and December 2009, public transportation in many European cities, at the levels of travel times, links, information, tickets and fares for trains, subways, buses and trams. The city of Munich has reached the first place with an assessment of “very good”, followed by another 11 with a rating of “good”, nine were by the “acceptable” – including Lisbon -, another one had a stamp “bad” and, ultimately, Zagreb with a “very bad”.

Continue reading ‘Lisbon in the 18.º place among 23 European cities’

informação nos transportes públicos

«the overwhelming majority of modernization programs around the world aspire to improve existing mobility systems through the better integration of the transport systems already in place. Increasingly, European planners now treat car, rail, air, and ship as complementary – not competing – modes of the transport (…) Bizarrely, nonmotorized forms of mobility such as walking, biking, or boating are excluded from the most influential databases…» (Tackara, pp. 57 e 72)

Na cidade do Porto há um vasto leque de modos de transporte, veículos e infra-estruturas: grandes redes com infra-estruturas e percursos fixos (comboio, metro e eléctrico); redes com percursos fixos mas eventualmente alteráveis (autocarro); sistemas individuais com percursos predominantemente pendulares, da periferia para o centro (automóvel), ou aleatórios dentro da aglomeração (automóvel particular, táxi, moto). Assim, um único sistema de informação construído de forma a ajudar as pessoas a encontrar informações sobre as diferentes possibilidades para deslocação em transportes públicos, permite promover a mobilidade sustentável.

esquema-transportes-novo

Adaptado (Design para a cidade – Trânsito e Transportes, pp. 10)

‘sobremobilidade’

aveiro_at_night_by_masbath

«(…) entre o viajante-espectador e o espaço da viagem que percorre ou contempla, (há) uma ruptura que o impede de ver nele um lugar, de nele se encontrar plenamente, ainda que tente preencher esse vazio por meio das informações múltiplas e minuciosas que lhe propõem os guias turístico (…) ou as narrativas de viagem.» (Augé, p. 72)

 

 

‘sobremobilidade’ de sobremodernidade (Augé): 

– “destinos irrequietos e perdidos”

– “solidão”

– “experiência crua”

– “superabundância das comunicações afinal fingidas”

– “superabundância de acontecimentos”

– “superabundância espacial”

– “individualização das referências”

– “anonimato dos espaços”